Resultados 1 a 4 de 4

Tópico: Projecto de intenção do governo para as novas regras na compra de automóvel

  1. #1
    Senior Member Average 2
    Data de Inscrição
    Dec 2004
    Mensagens
    498

    Red face Projecto de intenção do governo para as novas regras na compra de automóvel

    pessoal anexo aqui a intenção do governo sobre as novas regras relativas aos impostos na compra de novos automóveis e, como é evidente, legalizaçao de importados.

    projecto.

    I. O Conselho de Ministros, reunido hoje na Presidência do Conselho de Ministros, aprovou seguintes diplomas:

    1. Proposta de Lei que procede à reforma global da tributação automóvel, aprovando o Código do Imposto sobre Veículos e o Código do Imposto Único de Circulação e abolindo, em simultâneo, o imposto automóvel, o imposto municipal sobre veículos, o imposto de circulação e o imposto de camionagem

    Esta Proposta de Lei, a submeter à Assembleia da República, consubstancia uma reforma global da tributação automóvel, com a qual se visa, sobretudo, alterar a filosofia e os princípios subjacentes ao quadro vigente, incentivando a utilização de energias renováveis e a opção por veículos e tecnologias menos poluentes, em cumprimento do Programa do Governo e de acordo com os compromissos assumidos no âmbito do protocolo de Quioto e das metas do Programa Nacional para as Alterações Climáticas (PNAC 2006).

    Pretende-se aprovar os novos Código do Imposto sobre Veículos (ISV) e Código do Imposto Único de Circulação (IUC), abolindo, em simultâneo, o imposto automóvel, o imposto municipal sobre veículos, o imposto de circulação e o imposto de camionagem.

    As alterações mais relevantes prendem-se:

    - com o alargamento da tributação em função da componente ambiental (incrementando-se o peso das emissões de dióxido de carbono (CO2) na base de tributação, para 30%, no primeiro ano, e 60%, no segundo ano);

    - com a deslocação de uma parte da carga fiscal do imposto devido pela aquisição do automóvel para a fase da circulação. O novo ISV apresenta, já no ano da sua introdução, um peso inferior em 10% ao do actual imposto automóvel, sendo que esta redução da carga fiscal no momento da aquisição não será idêntica para todos os veículos – os veículos menos poluentes beneficiarão, em geral, de reduções de imposto superiores ao valor médio de 10%, enquanto os veículos mais poluentes podem, em certos casos, ver a sua carga fiscal agravada.

    Numa primeira fase, existirão duas tabelas do ISV: a tabela A, com taxas sobre a cilindrada e o CO2, aplicável aos veículos homologados como ligeiros de passageiros que podem ser tributados com base nas emissões de dióxido de carbono; e a tabela B, com taxas sobre a cilindrada, a aplicar aos restantes automóveis veículos até que as respectivas homologações integrem os valores das emissões de CO2, o que acontecerá a partir de 1 de Janeiro de 2009.

    Prevê-se, ainda, a atribuição de um benefício fiscal de 500 euros para veículos a gasóleo que emitam partículas abaixo dos 0,005g/km.

    Do conjunto de outras inovações introduzidas, salientam-se a (i) a disciplina dos requisitos de acesso ao estatuto de operador registado; (ii) a criação da figura do operador reconhecido, visando um melhor controlo das empresas do sector automóvel que não sendo representantes de marcas, ainda assim possuem uma actividade significativa na comercialização de veículos novos e usados; (iii) a harmonização dos requisitos de acesso, prazos, ónus e formalidades no domínio dos benefícios; (iv) a fusão num único regime dos actuais dois regimes vigentes (um para os cidadãos que transferem a residência da UE e outro para os cidadãos que regressam de terceiros países), revendo-se requisitos e documentação probatória, de modo a evitar fraudes e exercer um controlo mais rigoroso da despesa fiscal associada a este regime, que atinge cerca de 50% do total da despesa fiscal em sede de imposto automóvel.

    Relativamente ao IUC, que substitui os actuais Imposto Municipal sobre Veículos, Imposto de Circulação e Imposto de Camionagem, este novo imposto é aplicável a veículos novos matriculados após 1 de Julho 2007 e aos restantes a partir de Janeiro de 2008, sendo que, em relação ao parque automóvel existente, mantêm-se, em termos idênticos, os níveis de tributação actualmente vigentes.

    O facto gerador do IUC passa a ser a propriedade, o que permite um controlo mais eficaz do imposto, sendo os veículos identificados, em termos de incidência, por sete categorias, de «A» a «G», correspondendo a cada uma as respectivas taxas.

    A base tributável dos automóveis ligeiros de passageiros e automóveis ligeiros de utilização mista com peso bruto inferior a 2500 Kg que sejam matriculados na vigência do novo modelo passa a integrar as emissões de dióxido de carbono, por razões de protecção do meio ambiente.

    A liquidação do imposto passa a ser efectuada pelo próprio sujeito passivo, através da Internet ou por qualquer serviço de finanças, sendo que, para as pessoas colectivas, a liquidação do mesmo é obrigatoriamente feita através da Internet, dispensando-se a aposição do dístico.

    O objectivo do Governo é que estas alterações possam entrar em vigor em 1 de Julho de 2007.


    fonte: http://www.portugal.gov.pt/Portal/PT...a/20070215.htm

    a noticia é de hoje e já agora, também aproveito para informar que hoje tambem foi já publicado o diploma com novas regras relativamente aos abatimentos de imposto automóvel por força da destruição de ligeiros em fim de vida.
    Audi TT Quattro Roadster Rula!!

    pessoal ajudem-m a derrubar o governo lol
    http://flavyansky.spaces.live.com/

  2. #2
    Fundador, administrador Super user Avatar de tuningonline
    Data de Inscrição
    Dec 2002
    Localização
    Porto
    Mensagens
    16.273

    Padrão

    Parece-me mais uma mudança de nome que outra coisa. Ou seja os preços ficam quase iguais. Falta saber sobre que valor incide o IVA mais uma vez...

    As medidas de incentivo a automóveis menos poluentes podem ou podiam ser feitas por separado, estar a espera desta mudança...

    Já agora os incentivos são baixissimos. Não se fala em carros hibridos. Qualquer país mais civilizado, mesmo os que cagam para o protocolo de Kioto tem melhores medidas, veja-se o caso dos EUA.

    Por falar em EUA a empresa Google oferece a todos os seus funcionarios que queiram comprar um carro hibrido 5000$ de incentivo..o que representa um bom incentivo, a acrescentar aos do governo.

    Mais info aqui: Top Green Cars

  3. #3
    Senior Member Senior Avatar de AVANTIME
    Data de Inscrição
    Aug 2004
    Localização
    Vila Nova de Gaia
    Mensagens
    590

    Thumbs down

    Se baixassem mas é o valor do meu selo é que era uma maravilha!
    Pago cento e tal euros e ando com um carro mais ecológico que muitos petroleiros que andam por aí com a mesmas caracteristicas, mas que pagam 40 e tal euros apenas e poluem muito mais...

  4. #4
    Senior Member Average 2
    Data de Inscrição
    Dec 2004
    Mensagens
    498

    Padrão

    Citação Mensagem Original de tuningonline Ver Post
    Parece-me mais uma mudança de nome que outra coisa. Ou seja os preços ficam quase iguais. Falta saber sobre que valor incide o IVA mais uma vez...

    As medidas de incentivo a automóveis menos poluentes podem ou podiam ser feitas por separado, estar a espera desta mudança...

    Já agora os incentivos são baixissimos. Não se fala em carros hibridos. Qualquer país mais civilizado, mesmo os que cagam para o protocolo de Kioto tem melhores medidas, veja-se o caso dos EUA.

    Por falar em EUA a empresa Google oferece a todos os seus funcionarios que queiram comprar um carro hibrido 5000$ de incentivo..o que representa um bom incentivo, a acrescentar aos do governo.

    Mais info aqui: Top Green Cars


    digamos que o ramo automóvel que tem interesse em vender hibridos, nao tem um lobby tao significativo como os outros

    quanto a reduções, nao t sei dizer ao certo o que vai acontecer. o governo anuncia q havera uma reduçao de 90 milhoes de encaixe mas, q tal diferença será compensada pelos pagamentos faseados de outros impostos. agora parece-m q se vai deixar de pagar tanto, embora uma diferença minima, no montante inicial e se vai pagar mais todos os anos com os selos ou o q os vier substituir.

    agora, para mim, isto é treta. todos os ultimos anos se tem testemunhado uma quebra na venda de carros novos e os próprios importados devem ter parado de crescer, se bem m parece, portanto, o único imposto com receita certa é o imposto de selo e esse, que é indiferente às tendencias depressivas do mercado, foi aumentado lol

    este sócrates merecia ... enfim

    o k tb ja li na transversal algures eh q, o imposto devido, tambem vai ser cobrado quando o carro for vendido ou revendido. ainda nao sei ao certo como vai ser isso mas nao parece q tivessem em mente o iva....

    a ver vamos onde vai parar esta chaleira de país
    Audi TT Quattro Roadster Rula!!

    pessoal ajudem-m a derrubar o governo lol
    http://flavyansky.spaces.live.com/

Tópicos Similares

  1. Governo mantém apoio à compra de carros eléctricos
    Por tuningonline no fórum Geral Automóveis
    Respostas: 0
    Última Resp.: 19-10-2010, 00:30
  2. Novas regras na F1
    Por gonças no fórum Videos
    Respostas: 9
    Última Resp.: 19-02-2009, 10:13
  3. Respostas: 11
    Última Resp.: 06-01-2009, 19:26
  4. Novas regras classificados
    Por tuningonline no fórum Geral Tuning
    Respostas: 1
    Última Resp.: 22-04-2007, 23:15
  5. 2007: novas regras da PSP e GNR-BT
    Por Seven_Keys no fórum Condução e segurança rodoviaria
    Respostas: 14
    Última Resp.: 14-04-2007, 12:11

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •